Jorge Paz Amorim

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Sou Jorge Amorim, Combatente contra a viralatice direitista que assola o país há quinhentos anos.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Greve geral na Argentina, hoje. Amanhã será no Brasil.


Maurício Macri o direitista que preside a Argentina há 16 meses enfrentará sua primeira greve geral, hoje. Depois de liberar preços dos serviços públicos e abrir a economia argentina a fim de atender interesses do capital estrangeiro, o que fez explodir o desemprego, Macri terá o confronto dos trabalhadores ao seu projeto neoliberal.

Daqui a pouco mais de vinte dias, será a vez do golpista temerário enfrentar uma greve geral. Conspirador, assaltante de direitos sociais arduamente conquistados e desordeiro das contas públicas, MT também terá contra si a oposição dos trabalhadores a fim de que se restabeleça aquilo para o qual foi eleita a cabeça da chapa da qual fazia parte esse vil traidor, que acabou adotando a política econômica do derrotado.

Claro que a mídia continuará falando da Venezuela e desdizendo tudo que afirma a respeito do que aqui e na Argentina ocorre, quando aborda o que se passa na terra de Hugo Chavez. Cada vez mais carentes de seriedade, tentarão salvar as aparências desses dois governos entreguistas, diferenciados apenas pelo fato do mandato de Macri ser legítimo.

De qualquer modo, caso haja êxito nos movimentos acima citados, teremos boas perspectivas da América do Sul voltar a unificar-se em torno de um projeto comum, focado na melhoria de condições de vida de suas populações economicamente em situações mais vulneráveis.

Ainda que isso contrarie a orientação do tio Sam a seus lacaios, com o povo nas ruas será possível superar essa guinada à direita que Brasil e Argentina ora tentam dar e levar a reboque os demais países da região. Espera-se, enfim, que a democracia seja restabelecida, assim como os direitos usurpados da população dos dois países que viverão uma greve geral.

Nenhum comentário: