Jorge Paz Amorim

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Sou Jorge Amorim, Combatente contra a viralatice direitista que assola o país há quinhentos anos.

quarta-feira, 28 de outubro de 2020

o dinheiro da saúde pública segue sendo surrupiado

Heloisa Maria Melo E Silva Guimarães

 Com a história andando pra trás, a justiça paraense bloqueou os bens do secretário de saúde do privata Simão Jatene, Vitor Mateus, assim como da deputada pefelista Heloísa Guimarães.

Em negociata com uma dessas arapucas apelidadas de organizações sociais, os envolvidos no trambique aplicado no dinheiro do SUS ofertam um menu extenso e variado de falcatruas.

Duplicidade de pagamentos, termos aditivos pra cobrir serviços já remunerados, empréstimos financeiros caloteados são alguns dos trambiques que o MP denunciou e ensejaram a decisão da justiça.

Que isto sirva de alerta aos que se preparam para disputar o comando de prefeitura, já com a perspectiva de monopolizar o dinheiro da saúde pública para sua rede de hospitais, contando com a cumplicidade do atual governador.

Espanha enterra o neoliberalismo

 A tributação de grandes fortunas é a saída óbvia para aumentar a arrecadação federal e permitir que o governo faça investimentos urgentes em áreas fundamentais como saúde e educação. Enquanto a elite brasileira recusa-se a fazer a sua parte para corrigir desigualdades sociais seculares, a Espanha começa a alinhar-se a um necessário redesenho do papel do Estado para o desenvolvimento de uma sociedade mais igualitária e fraterna no mundo pós- pandemia. Na terça-feira (27), o governo espanhol anunciou que haverá aumento de impostos para grandes empresas e para os mais ricos no país. 

“Hoje inauguramos uma nova etapa que deixa para trás o caminho neoliberal”, comemorou o vice-presidente Pablo Iglesias, do Podemos, conforme noticiou o jornal ‘ El País’. O anúncio foi feito após negociação dos termos do acordo entre as agremiações PSOEe Unidas Podemos, que compõem a aliança de esquerda que governa a Espanha. A pandemia do coronavírus agravou a crise e fez com o governo abandonasse a agenda de austeridade e cortes no orçamento.

Com isso, o orçamento passa a contar com 10,3% a mais de receita para investimentos, incluindo o auxílio de 27 bilhões de euros do plano europeu, de acordo com o ‘El País’. Segundo o primeiro-ministro Pedro Sánchez, o novo orçamento permitirá um investimento público recorde de 239,76 bilhões de euros.

O governo poderá, assim, aumentar os gastos com educação em 70%. Serão destinados 514 milhões de euros para programas de bolsas de estudos e 1,5 bilhão em quatro anos para a modernização da formação profissional. Outros 5 bilhões de euros serão injetados em pesquisa e desenvolvimento, o que corresponde a um aumento de 80% para o setor. A área de infraestrutura ganhará 115% a mais de investimentos, cerca de 6,16 bilhões de euros.

Já as áreas de indústria e energia receberão 5,7 bilhões de euros. Setores brutalmente atingidos pela pandemia também estão incluídos no orçamento, como o comércio, o turismo e as pequenas e médias empresas, que receberão investimentos de 150%, cerca de 1,3 bilhão a mais. Cultura terá alta de 25,6% e a agroindústria receberá recursos extras de quase 790 milhões de euros.

FMI e o fim da austeridade

“A estratégia adotada pela Espanha é defendida inclusive pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), que se distancia cada vez mais da ortodoxia pela qual se destacou nos anos mais difíceis do chamado consenso de Washington“, destaca o ‘El País’. O jornal lembra que o FMI hoje entende que o Estado deve bancar investimentos para fomentar o desenvolvimento e a retomada da economia. O Fundo sustenta ainda que os mais ricos também devem pagar mais impostos.

O termos do acordo estabelecem que grandes grupos pagarão mais impostos na medida em que sejam limitadas as isenções por dividendos e lucros gerados por sua participação em filiais. O governo irá elevar em três pontos percentuais o imposto de renda de pessoa física sobre ganhos de capital superiores a 200 mil euros. Também será acrescido aumento de imposto em dois pontos para a renda do trabalho superior a 300.000 euros (dois milhões de reais).

Será cobrada ainda uma tributação mínima de 15% para as empresas cotadas de investimento imobiliário, um tipo de empresa, informa o jornal, que os grandes capitais utilizam para economizar impostos.

Teto de gastos

A reavaliação do papel do Estado trazida pelo coronavírus, um necessário reconhecimento de que o modelo neoliberal rentista não produz riqueza – ao contrário só gera desigualdade e miséria – só não entra na cabeça do ministro Paulo Guedes, preso a uma ortodoxia perigosamente ultrapassada. Guedes obedece a uma agenda que atende ao mercado financeiro e aos bancos, a quem interessa manter o absurdo teto de gastos que congelou investimentos em saúde e educação por 20 anos.

“[O teto de gastos] é uma aberração do ponto de vista de planejamento público e precisa ser revista porque é insustentável”, afirmou a ex-ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome no governo Dilma Rousseff, Tereza Campello, em recente entrevista ao ‘Valor’. “Que discussão fiscal é essa? Não se sustenta um debate deste. Um bando de rico dizendo que tem que privatizar, tirar dinheiro do funcionário público, para sustentar o Renda Cidadã”.

Campello defende a taxação de grande fortunas, proposta encampada pelo PT e partidos de esquerda. “Vamos fazer um plano de voo? Primeiro passo, vamos tirar dos riquíssimos. Segundo passo, vamos discutir essas desonerações dos riquíssimos”, propôs a ex-ministra.

(El País/ Agência PT de Notícias)

Capetão e seu agiota sempre dão um jeito de roubar um pouco mais os do andar de baixo

 Ao incluir a atenção básica à saúde em seu famigerado Programa de Parcerias de Investimento da Presidência da República, abrindo brecha para a insanidade que seria a privatização de unidades básicas de saúde, Bolsonaro inscreve seu nome entre os mais torpes ditadores paridos pelo golpe dado em 1964, que destruíram conquistas históricas da população brasileira, tais como a estabilidade no emprego, um vasto sistema de ferrovias e perspectiva de uma agricultura baseada na produção do homem do campo.

Pra piorar, o infame decreto privatista(decreto Nº10.530/20) transfere ao Ministério da Economia a decisão a respeito das parcerias, ou seja, coloca sob a irresponsabilidade delinquente do agiota Paulo Guedes a decisão a respeito de quais empresas da medicina privada abocanharão esses recursos públicos que o Ministério da Saúde tinha a obrigação de transferir a municípios a fim de bancar o atendimento imediato daquela população mais carente que não tem outra alternativa de assistência médica.

Assim, a medicina privada passa de gestora a proprietária dos recursos públicos destinados à saúde pública, assim como os comparsas da agiotagem de Guedes já dominam grande parte do OGU, através da transferência de um grande naco desse dinheiro público para que fortaleçam negociatas no cassino financeiro, bem ao gosto dos magnatas que hoje vivem de ganhos estratosféricos, sem produzir um alfinete, assim como mascates da fé alheia, latifundiários e quem mais estiver disposto a financiar a campanha de reeleição desse vil fascista. Lamentável!

Na declaração de bens do candidato, a modéstia. E na vida real?


 Circula nas redes sociais uma daquelas muitas denúncias surgidas em período eleitoral, que depois caem no esquecimento e engrossam o caldo da impunidade que campeia no país.

Trata-se da revelação que o candidato emedebista à prefeitura de Belém, José Priante Jr, teria dado calote no IPTU, referente a um imóvel de sua propriedade, sito a avenida Alcindo Cacela.

O que chama  atenção não é o valor do imóvel, R$150 mil, muito menos o do IPTU devido, cerca de R$10 mil, mas o patrimônio declarado do citado candidato: cerca de um milhão de reais.

Um milhão deve significar uns dez por cento do valor de apenas uma das fazendas de Priante, fora os imóveis, empresas de mineração nas quais é sócio(oculto) e tudo mais que amealhou como político.

Estarrece ver o Fisco não investigar a fundo as contas do candidato, não só esse, mas inúmeros outros praticantes do velhaco franciscanismo fiscal, dissimulando a ostentação desses rapaces.

Priante foi cunhista de primeira hora, ao declarar publicamente que votaria pelo impeachment de Dilma Rousseff, sem recato e sem pudor, mesmo sendo um dos mais bandalhos políticos desta terra, e olha que a concorrência é grande. Lamentável! 

Substituto à altura?


 

Ah, sim. Tá tudo explicado. O candidato à prefeitura de Belém pelo Partido da Mulher Brasileira é homem, todavia, é um ginecologista, isto é, não é mulher mas  alguém que conhece a fundo seus problemas.

Só deixa o eleitor ressabiado quando, em entrevista a um jornal local, o candidato declara, cheio de auto elogios, que deixou sua 'zona de conforto'(uuuuuuiiiiiiii!) para cumprir essa missão política.

Nesses tempos abdelmahssicos, não seria mais prudente evitar metáforas com alto teor de ambiguidade? Ou, se sua especialidade fosse a proctologia, também consideraria operar em uma 'zona de conforto'? 

terça-feira, 27 de outubro de 2020

Biden aumenta vantagem sobre Trump em estados cruciais para o republicano

Segundo novo levantamento do Centro de Pesquisa Eleitoral da Universidade de Wisconsin-Madison, o democrata Joe Biden apresenta vantagem sobre Donald Trump em três estados onde o atual presidente venceu Hilary Clinton em 2016.

Michigan, Wisconsin e Pensilvânia, estados que tradicionalmente votam nos democratas, escolheram Trump nas últimas eleições e foram os estados-chave para que o empresário chegasse à Casa Branca. As eleições presidenciais nos EUA estão marcadas para a próxima terça-feira (3).

Em meio à pandemia de covid-19, o cenário atual é diferente: Biden tem mais de 50% das intenções de voto nas três federações, enquanto Trump varia próximo dos 40%.

De acordo com os dados da Wisconsin-Madison, em Michigan, Biden tem 52% da preferência do eleitorado, contra 42% de Trump enquanto apenas 5% dos eleitores estão indecisos. 

Já em Wisconsin, o democrata conseguiu aumentar sua vantagem de quatro pontos percentuais para nove e tem 53% das intenções de voto enquanto Trump possui 44%.

A porcentagem de pessoas que pretendem votar pela reeleição do presidente é a mesma na Pensilvânia, onde Biden também lidera com 52% das intenções.

Modalidades diferentes

A pesquisa também diferenciou as escolhas dos candidatos entre os eleitores que votaram antecipadamente e aqueles que irão às urnas no dia oficial da eleição, 3 de novembro.

Biden apresentou ampla vantagem entre os votos antecipados, com 87% dos votos declarados na Pensilvânia, 75% em Michigan e 73% em Wisconsin. 

Segundo monitoramento do US Elections Project, da Universidade da Flórida, 40 milhões de americanos já votaram pelo correio e 19,4 milhões presencialmente. No total, mais de 60 milhões de pessoas optaram pelo voto antecipado.

Trump, por sua vez, lidera a intenção entre os que ainda vão votaram. O levantamento foi feito entre os dias 13 e 21 de outubro com 800 eleitores em cada um dos três estados.

(Brasil de Fato)

 

VIVA! Mulheres alcançam número histórico e são maioria no Senado na Bolívia

 Dados oficiais do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) da Bolívia confirmam que as mulheres alcançaram um recorde histórico no Senado, no domingo (18), aproximando-se à igualdade na Câmara dos Deputados.

A política de “paridade e alternância” implementada pelo Movimento Ao Socialismo – Instrumento Político pela Soberania dos Povos (MAS-IPSP) coloca o país andino no pódio da representação feminina no parlamento, com 20 das 36 cadeiras do Senado (56%) e 62 das 130 da Câmara Baixa (48%).

“Por trás destes números está a valorização das mulheres e dos povos indígenas, da pollera (saia camponesa) e da whipala (bandeira andina que expressa a alegria e o sonho), do combate à discriminação”, declarou Ruth Londram, da executiva da Associação de Mulheres Indígenas Originárias de Colcapirhua “Bartolina Sisa”.

Na avaliação de Londram, ao valorizarem a imagem da heroína indígena aimará, companheira de Túpac Katari assassinada pelos conquistadores espanhóis, “as Bartolinas apontam o caminho da libertação da Pátria a partir da superação individual e coletiva”. “É a organização enquanto movimento popular que nos permite ir além, pois temos consciência dos nossos direitos e não somos mais tratadas de forma insignificante. Muito diferente foi o período do golpe de Jeanine Áñez, quando retornaram os maus tratos, o preconceito e o racismo”, condenou.

E foi a maior organização e a crescente participação de entidades próprias femininas e dos movimentos sociais que conseguiu elevar o tom e também potencializar a ação político-partidária, com resultados positivos crescentes na luta pela construção de escolas, hospitais e moradias para as famílias que mais necessitavam, frisou Londram.

(Onze de Maio/ via Diário do Centro do Mundo)

Paulo Guedes reclamando falta de liberdade é como Cascão reclamando falta dágua

  

Além de na área econômica ser o protótipo mais bem acabado do pilantra, Paulo Guedes é a imagem do cinismo político que acomete economistas conservadores que adentram na política.

Suas acusações estapafúrdias à falta de liberdade na China seriam dignas de apedrejamento em países onde vigora tolerância zero com embusteiros, principalmente esses labiosos e trambiqueiros.

O patife fez parte da equipe econômica de um dos mais desprezíveis ditadores do continente; faz parte do staff fascista de um tenente reformado que sempre foi apologista de torturadores e ditaduras , vem com essa conversa mole.

Foi aos EUA de cócoras, diante de um presidente que não perde em impiedade aos piores ditadores, responsável pelas mais de 200 mil mortes ocorridas naquele país por covid19, e posa de defensor da liberdade.

Só em um Brasil destroçado, onde a opinião publicada, escudada em fariseus muitas vezes remunerados por organismos pertencentes à estrutura imperialista, é capaz de tolerar um salafrário como esse Paulo Guedes.

O Brasil possui pouco mais de 1/3 do seu comércio exterior com China, fruto de trabalho diplomático admirável operado durante os governos petistas, sendo que não há indício insatisfação por parte dos exportadores brasileiros.

Assim, a hostilidade fascista, o boicote estúpido por parte desse governo obtuso contra as relações Brasil/China, caso consiga realizar seus objetivos, só trará prejuízo ao Brasil, embora sejam claros os sinais que quem ganhará com isso está pouco se importando com a nossa economia. Simples assim.

Envelhecimento precoce


 
O ungido por Zenaldo Jr à sua sucessão afirma com todas as letras que a insegurança jurídica é o maior entrave ao empresariado que lucra horrores com o transporte coletivo, daí não investir em melhorias.

Diz, ainda, o imberbe já demonstrando grande familiaridade com a velhacaria secular ser mensageiro de uma nova política, coisa que nem a velhinha de Taubaté acreditaria dado o esteio em que se escora.

Nunca é demais lembrar que esse cartel boicotou reiteradamente qualquer licitação que se tentou fazer, simplesmente porque como permissionário precário fatura horrores às custas da promiscuidade atual.

Portanto, menino solerte, 'nova política' não passa de slogan engana trouxa, que une indigência criativa com a identidade velhaca que há 16 anos atormenta o povo belenense desmoralizando criatura e criador.

Papá cumple 80 años

 Pode ser que as colunas da 'casa' não disponibilizem de fotos recentes com pai e filho, mais certo é que nem haja essa foto.

Pode ser, ainda, que, quando essa ausência for notada ambos aproveitem o dia de hoje para produzir um registro em que deve prevalecer o sorriso forçado de miss derrotada em concurso, no rosto de ambos.

Para além das antipatias, deveria prevalecer a obrigatoriedade de respeitar-se a liturgia nas relações que norteiam a conduta de homens e mulheres públicos/as, ainda mais quando integrantes da mesma legenda.

Nos tempos da ditadura militar, a força bruta censurou por longos anos a informação a respeito da luta encarniçada que travavam nos bastidores do regime Jarbas Passarinho e Alacid Nunes, até este apoiar um candidato de oposição(consentida pelo regime) ao candidato da situação.

Hoje, a mal disfarçada rixa extrapola da política à relação familiar e vice versa, sendo que o veneno a circular nas artérias tensas desse relacionamento é dotado de alto teor de letalidade, provavelmente com data marcada para começar a corroer as resistências do organismo político: 2022.

segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Quadrilheiros pretendem virar embaixadores para burlar lei brasileira

Lula quer acesso a acordo entre Lava Jato, EUA e Petrobras

 De tanto ver triunfar a impunidade, ver o lawfare farsajatense sobrepor-se à ordem jurídica nacional, a Petrobras resolveu inovar no seu exercício de ser fora da lei no pós golpe de 2016.

Patética e cinicamente, inventou uma forma sofisticada de burlar os tribunais pátrios ao requerer status de embaixada estrangeira e assim colocar-se acima da legislação brasileira.

Tudo porque firmou acordos espúrios, pra dizer o mínimo, com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que a levaram desembolsar U$3 bilhões a investidores estrangeiros sem razão aparente.

Além disso, a patranha de rábulas visa sonegar informações solicitadas pela defesa do ex presidente Lula a respeito das acusações mambembes, feita pelos gangsters togados da Farsa Jato e assim manter o processo mutilado.

A sonegação das informações é fundamental para que o enredo farsesco urdido pela Rede Globo sustente a mentira no processo e assim faça prevalecer a versão sobre os fatos, garantindo a impunidade da quadrilha morista.

Claro que só essa solicitação, feita ao STF pelos meliantes ora homiziados na direção da nossa estatal petrolífera, já significa confissão de um crime que precisa desesperadamente ser ocultado, pois sua descoberta ensejará décadas de cadeia aos culpados.

Resta saber como a nossa Suprema Corte receberá essa inédita, audaciosa e galhofeira solicitação de perdão sem julgamento de servidores públicos que demonstraram zero de zelo pela coisa pública. Aguardemos, pois.

Presidente não tem o que comemorar até agora nas eleições municipais

 O presidente Jair Bolsonaro não tem o que comemorar na sua primeira eleição como o principal cabo eleitoral do governo. Os candidatos apoiados oficialmente pelo líder da extrema-direita estão se saindo mal nas pesquisas e não empolgam sequer a camada mais conservadora da sociedade brasileira. Sem um partido estruturado que possa ser chamado de seu, o bolsonarismo foi para a corrida eleitoral apostando em pangarés do reacionarismo, como Celso Russomano (Republicanos), que disputa a Prefeitura de São Paulo e caiu 7 pontos percentuais na última rodada de pesquisas, de acordo com o Datafolha.

“O grande derrotado nas eleições municipais de 2020 é Bolsonaro”, opina o jornalista Rodrigo Vianna. “O presidente sairá chamuscado no eixo Rio-SP, e enfraquecido em outras capitais importantes”, avalia. Experiente observador da cena política brasileira dos últimos 20 anos, Viana diz que Bolsonaro não tem o que comemorar e para sobreviver, dependerá cada vez mais do Centrão. Isso tira fôlego do discurso extremista/terraplanista que foi fundamental para dar vitória a ele em 2018”, aponta. “Depois da derrota golpista na Bolívia, e do avanço dos democratas no Chile, a onda de extrema direita parece perder força também nas eleições municipais no Brasil”.

O derretimento de Russomano – amigo fiel do presidente dos tempos em que ambos eram expoentes da inexpressiva bancada malufista no PP – não parece ser um fenômeno isolado. Enquanto o candidato do bolsonarismo caiu 7 pontos percentuais, o nome do PT pela Prefeitura de São Paulo, o advogado Jilmar Tatto, avançou três pontos. Tatto encarna a denúncia contra a política destrutiva de Bolsonaro, espelhada em São Paulo por Celso Russomano.

Assim como na capital paulista, em outras cidades importantes do país, a alta rejeição de Bolsonaro tem funcionado como uma âncora para os candidatos da extrema-direita e dos conservadores. O presidente perde popularidade por conta de sua política econômica de arrocho fiscal, que agravou o quadro social no país, já deteriorado pela crise sanitária. O corte do auxílio emergencial, reduzido de R$ 600 para R$ 300, também é outra bandeira do bolsonarismo que cobra seu preço.

E a economia brasileira patina com o  agravamento da crise desencadeada pelo neoliberalismo de Paulo Guedes. O resultado disso tudo é a piora das condições de vida da maioria da população. O aumento da desigualdade social, a alta do desemprego e a elevada inflação dos alimentos – os principais problemas do país hoje – funcionam como um peso no pé dos escolhidos pelo bolsonarismo para disputar as prefeituras de muitas das capitais brasileiras. O problema se repete em outras praças.

Rio, Belo Horizonte e Recife

Se em São Paulo Bolsonaro virou um problema como cabo eleitoral, no Rio a associação do presidente com o prefeito Marcelo Crivella também resultou numa trava para a reeleição do líder político ligado à Igreja Universal do Reino de Deus. Marcelo Crivella está empatado com a deputada Benedita da Silva (PT-RJ), em segundo lugar, de acordo com as pesquisas eleitorais, no mesmo patamar da candidata Marta Rocha, candidata do PDT. Para quem tem a máquina municipal nas mãos e que conta com o peso da Rede Record de Televisão, não parece ser promissora a situação dele, que teve ainda a candidatura cassada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio.

Em Belo Horizonte, o bolsonarismo também derrapa sem força eleitoral. O candidato da família presidencial, o inexpressivo Bruno Engler, nome do minúsculo PRTB, não empolga o eleitorado mineiro, conforme demonstram as últimas pesquisas eleitorais. Lá, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) está muito à frente nas pesquisas, dificultando a defesa das bandeiras do bolsonarismo. 

Coordenador das redes sociais do Movimento Direita Minas, um conglomerado de reacionários empolgados em travar uma guerra cultural permanente com a esquerda, Brunoi Engler diz que representa os valores conservadores em Minas Gerais. Não tem empolgado os belohorizontinos. Tem algo em torno de 2% das pesquisas.

Em Recife, o bolsonarismo se dividiu entre dois expoentes do reacionarismo: Mendonça Filho (DEM), ex-ministro do governo Michel Temer e prócer da direita pernambucana, e a Delegada Patrícia (Podemos), uma outsider que se apresenta como a “Moro de Saias”, nascida no Rio de Janeiro e que é uma defensora da política de destruição econômica da Lava Jato. Ambos estão em um empate técnico com a petista Marília Arraes, que luta para enfrentar o deputado federal João Campos (PSB), filho e herdeiro político do primo da parlamentar, o ex-governador Eduardo Campos, no segundo turno das eleições.

(Agência PT de Notícias)

As malditas heranças de Zenada


 Depois da reforma do mercado de São Brás, feita ao apagar da atual administração e entregue ao Rominho; depois da reforma, igualmente tardia, do Palacete Bolonha com a obrigação da conclusão e pagamento pelo próximo prefeito; o privata Zenaldo tenta agora deixar dinheiro público como herança a empresários do peito, através de uma licitação traquinas para a coleta do lixo.

Trata-se de um contrato vigente por cinco anos, a um custo de R$1bilhão, que o quase ex-alcaide tenta emplacar a dois meses de passar o bastão ao sucessor, contando com um improvável ovo no cu de uma galinha de férias como poedeira, vale dizer, tá ruço pra ele eleger um sucessor de sua copa/cozinha, daí encher as mãos com cascas de banana para atirar no caminho de um desafeto.

Curioso é que não se vê qualquer movimento por parte da autoridade fiscalizadora das extravagâncias desse mal intencionado e moribundo gestor, que em fim de carreira recorre a malandragens desse jaez a fim de provocar dificuldades que desviem o foco de seu péssimo desempenho, bem como abra a possibilidade de ganhos espetaculares ao empresariado amigo. Providências legais, já! 

Da série 'meu óleo de peroba, minha vida'.

 Com a cara mais lubrificada do mundo, o candidato à prefeitura de Belém José Priante(MDB) promete implantar um programa de creches revolucionário.

Papo furado. Investigue, caro leitor, o site do Congresso Nacional e lá verá que ele destinou R$0,00 à construção de creches no município e ainda votou cinicamente pelo impeachment de Dilma Rousseff, como comparsa de Eduardo Cunha, privando Belém de pelo menos ter uma voz naquele momento em que o MEC havia disponibilizado verbas para construção de creches nos municípios.

Trata-se, com efeito, de parlamentar nefasto aos interesses dos mais pobres, daqueles que vota benesses para os tubarões empreiteiros e ainda é capaz de afirmar que o fez pensando em gerar empregos. Triste!

Vitória do povo

 Viva o povo chileno, que em decisão histórica soterrou, ontem, o último zumbi deixado pelo facínora Augusto Pinochet, ladravaz e chefão do narcotráfico, cujo golpe na democracia, em 11 de setembro de 1973, fez de um país próspero um campo de concentração.

Que a população daquele país siga em frente construindo seu próprio destino, produzindo uma nova Carta Magna de acordo com a vontade soberana da população, livre da tutela imperialista e dos cães de aluguel usados para impedir que as legítimas aspirações populares sejam concretizadas.

Felizmente, para o povo chileno que os ignora, só restou a lamúria de celerados como Jair Bolsonaro, tão admirador de Pinochet que até repatriou de lá um aventureiro viciado nas mesas de cassino financeiro, hoje roubando dinheiro público brasileiro com cinismo revoltante.

VIVA O POVO CHILENO! VIVA A DEMOCRACIA! 

domingo, 25 de outubro de 2020

Os maus gestores da Cosanpa

 

Após 52 dias em Sampa, ao lado das minhas filhotas guerreiras, volto à terrinha pra submeter-me as agruras desse lupanar hídrico do Barbalhinho, que os mais dóceis chamam de Cosanpa.

Sempre lia por lá quais bairros seriam privados do convívio com o líquido precioso cá, embora se saiba que o anunciado sempre abrange muito mais vítimas do que consta daquela literal lista suja.

Para o  governo do estado, é como se o anúncio prévio o absolvesse da responsabilidade pelo péssimo serviço que oferta, e, pelo visto, continuará ofertando a julgar pelo desdém que nutre pelo usuário.

Simão fez de tudo para atirar essa filha indesejada, chamada Cosanpa, nos braços da privataria paulista, a gestão famigerada da Sabesp impediu a adoção da bastardinha, vista como mais uma boca pra passar fome.

Assim, como empresa pública foi passada a Helder, que vivia esculhambando seus responsáveis, mas agora, quando toma conta da menina rebelde, parece esperar que o novo marco regulatório que inventou donos para a água de nossos mananciais aguarda o momento de passar aos novos 'donos' a tutela da rejeitada. Lamentável!

Óleo de peroba passa a ser usado como material de campanha política


 

Pesquisas de intenção de voto contratada pelo Diário do Pará tem a sina de dar com os burros nágua. Todos lembram de 2014, quando um desses arranjos de numerologia falsária indicava Helder 10% à frente de Simão, no 2º turno; e quem acabou governador foi o privata viajante.

Por isso, é digna de todas as dúvidas essa vigarice metida a estatística publicada hoje, afirmando que o candidato emedebista à prefeitura de Belém possui 14,9% das intenções de voto, segundo um instituto piada pronta alcunhado de Acertar. Porra! Imagina só!

Pra completar, o jornal ainda afirma que a gestão Helder Barbalho é aprovada por 78% dos paraenses, se bem que aí foi o jornal que fez alquimia de temperamento sórdido misturando ótimo/bom/regular, e, se bobear, ainda é capaz de ter adicionado um naco do ruim, péssimo e casa do sem remédio ao positivo.

Aliás, ainda segundo essa risível pesquisa, o ausente, desconhecido e inoperante Priante foi o único candidato que cresceu acima da margem de erro, nos últimos dias da campanna, como se a fictícia popularidade de Helder fosse assimilada pelo eleitorado e num passe de mágica causasse transferência de votos. É muita cara de pau!                                  

sexta-feira, 23 de outubro de 2020

Inflação alta e desemprego recorde. A locomotiva de Guedes puxa o país… Rumo ao abismo

 

A ausência de uma política econômica que permita uma saída para a crise continua a ampliar seus efeitos na vida dos brasileiros. Nesta sexta-feira, 23, saiu o IPCA-15, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, que leva em conta a cesta de produtos e serviços para famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos em nove regiões metropolitanas, além de duas capitais (Brasília e Goiânia). O índice bateu em 0,94%. É o mais alto em 25 anos.

façanha de Paulo Guedes é conseguir em apenas 20 meses o pior resultado da inflação para outubro desde 1995. Junto com Jair Bolsonaro, o ministro da Economia segue massacrando os mais pobres, pela combinação de inflação alta de alimentos e queda de renda com o fim da redução do auxílio emergencial e a alta do desemprego. Também nesta sexta, saiu outro dado que mostra o colosso de Guedes: o IBGE informou que a taxa de desemprego bateu recorde em setembro, chegando a 13,5 milhões de trabalhadores. Em maio, eram 10,1 milhões de desempregados. Um crescimento de 33%.

Presidenta nacional do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), ironizou o ilusionismo de Guedes, que comemorou há alguns dias o feito de que o Brasil havia perdido apenas 1 milhão de postos de empregos desde o início da crise sanitária. “Foram 7,2 milhões de postos de trabalho perdidos em apenas 3 meses de pandemia. A população ocupada é a menor já registrada, com recorde do número de subutilizados e desalentados. E Guedes comemorou outro dia. Alguém confia neste governo?”, criticou.

Sem luz no fim do túnel

Ela disse que Bolsonaro e Guedes estão levando o país ao precipício e estão realizam o governo mais incompetente da história, conseguindo a proeza de combinar recessão com inflação crescente. Um pesadelo. “Guedes é incapaz de fazer uma só proposta que permita estimular a economia e proteger a população do aumento de preços de alimentos”, atacou Gleisi.

O deputado Rogério Correia (PT-MG) também se mostra preocupado com os rumos do país. “Triste rotina do Brasil de Bolsonaro. Recordes negativos atrás de recordes negativos. Economia está um caos, e pode preparar que a dupla Bozo e Guedes vem aí com um saco de maldades depois das eleições”, alertou, comentando os resultados. Ambos afirmam que a saída para a retomada da economia é o fim do teto dos gastos, inaugurado em 2016 com Michel Temer e mantido pela equipe econômica de Bolsonaro, submisso aos desejos do mercado dinanceiro. A Emenda Constitucional 95 impede investimentos públicos e gastos em saúde e educação

O PT apresentou em setembro o Plano de Reconstrução e Transformação que não apenas revoga a regra do teto de gastos como propõe como sugere uma nova política fiscal, gradual e segura, que leve em conta o bem-estar da população nos próximos dois anos. A manutenção da atual política fiscal vai comprometer o futuro do país, porque impede aumento de despesas em áreas vitais, como saúde e educação, até 2036.

No Senado, o líder Rogério Carvalho (PT-SE), apresentou com a bancada do PT e mais 25 assinaturas de outros senadores a Proposta de Emenda Constitucional 36/2020, que cria uma regra de transição de regime fiscal em 2023, com novas regras de gastos plurianuais, de quatro em quatro anos, estabelecendo metas por setor, garantindo financiamento dos serviços essenciais e investimentos e ao mesmo tempo apontando pra sustentabilidade fiscal.

Inflação assustadora

O resultado do IPCA mostra o fracasso do governo. Os preços dos alimentos e bebidas tiveram a maior alta – 2,24% – entre os produtos pesquisados e também o maior impacto positivo (0,45 ponto porcentual) no índice oficial. Os alimentos para consumo no domicílio passaram de uma alta de 1,96% em setembro para 2,95% em outubro.

O item de maior peso foram as carnes, com aumento de 4,83%, contribuindo com 0,13 ponto porcentual no índice. Foi a quinta alta seguida das carnes no IPCA-15, segundo o o IBGE. Destacam-se ainda altas do óleo de soja (22,34%), arroz (18,48%), tomate (14,25%) e leite longa vida (4,26%).

No acumulado em 12 meses, o IPCA-15 avança 3,52%, abaixo da meta de inflação perseguida pelo Banco Central para 2020, de 4% — a meta tem tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. No ano, o IPCA-15 acumula avanço de 2,31%.

Apesar do resultado preocupante, houve no mercado financeiro quem passasse pano pro governo e diga que a situação não é tão grave. Em entrevista ao Estadão, o economista-chefe da Ativa Investimentos, Étore Sanchez, disse que o resultado do IPCA causa preocupação. “Existe hoje um sentimento inflacionário, mas nem o mais pessimista projeta inflação alta tão cedo”, declarou.

(Agência PT de Notícias)

Será que na juventude ouvia muito 'Ando meio desligado'(Mutantes)?



Terça feira última(20), o poderoso Real Madri resolveu colocar seu time misto pra enfrentar o Shaktar Donesc(Turquia), pela Champion's League, e levava uma peia que se desenhava colossal: 3x0 só no primeiro tempo.

Assustado, o técnico Zinedine Zidane tratou de colocar no segundo tempo o brasileiro Vinicius Jr. e o franco/argelino Karin Benzema, assim diminuindo o prejuízo, mas não evitando a derrota por 3x2, nem a fúria da torcida.

Depois do jogo, chuva de xingamentos a Zizou nas redes sociais, bem como cobranças ásperas da imprensa madrilenha contra a soberba do ex cracaço francês, a ponto de questionarem se tinha alguma coisa contra Vini.

Parece que o treinador da seleção brasileira, Tite, ficou ressabiado com o ocorrido com seu colega de profissão e tratou de convocar, hoje, o ex rubro negro pra seleção, depois de deixá-lo inexplicavelmente de fora da última convocação.

Às vezes o treinador da nossa seleção parece um nefelibata, totalmente desligado do mundo real e perdido em suas elucubrações sofísticas, a ponto de convocar o reserva e esquecer do titular da posição. A CBF acha isso normal. Será?

O que a Seduc deseja?


 Será que no meio dessa assustadora ameaça da volta das enchentes nos hospitais, por conta da negligência individual e governamental nos cuidados na prevenção ao covid19, a Seduc não tem algo mais decente pra fazer do que tentar forçar a volta de aulas presenciais?

Já não basta a liberação de cultos religiosos, em atendimento aos reclamos do pastor aliado político? O enfurecimento da turba ignara, feito pelo celerado véio da havan em sua loja, provocando aglomeração criminosa? O Círio pessoal de uns cem mil insensatos resultando em mais aglomeração e sabe-se lá o quanto da circulação do vírus? O irresponsável liberou geral governamental em praias, bares, dançarás, festinhas particulares e o escambau a quatro concorrendo para essa volta do terror?

Agora vem mais a secretaria de educação do estado, que bateu cabeça por meses, incapaz que foi em distribuir a merenda que os alunos fariam jus na escola, em suas casas, conjecturar demagogicamente que vai estabelecer um cronograma capaz de fazer retornar, ouvindo todos os envolvidos no contexto escolar, as aulas presenciais na rede pública estadual.

Por que essa obsessão por colocar em risco os mais vulneráveis? Desde junho último que o governo ameaça impor o retorno às aulas presenciais, mesmo com  a comunidade científica recomendando o contrário, pelo menos enquanto não houver segurança sanitária que sustente essa volta, no entanto, parece que picado pela mosca do condottiere, o governador e sua secretaria da área mostram-se incapazes em elaborar um plano razoável que unifique o atual ano letivo a 2021, sem prejuízo do alunado.

Quanto mais falam, anunciam, especulam ou propagandeiam, mais estampam sua incompetência. Lamentável!

Governantes insensíveis e incompetentes não deixam 'o irmão do Henfil' descansar em paz

 A disparada de preços, como feijão(7,05%); óleo de soja(23,73%); arroz(16,36%); tomate(14,02%), entre outros, fará com que a inflação para o mês de outubro assombre os paraenses, principalmente aqueles que fazem parte da imensa legião de desempregados.

Junte-se a isto o fato do governo acenar com a redução à metade do valor inicial do auxílio emergencial, caso o Centrão, agora aliado de Bolsonaro, não se junte à oposição, como fez em abril, a fim de garantir a manutenção do auxílio emergencial no valor de R$600,00.

Com desemprego endêmico grassando no país, começam a surgir várias campanhas humanitárias para mitigar a volta do Brasil ao Mapa da Fome do Unicef, retornando-se ao pesadelo vivido no início deste século, quando a privataria quebrou a economia do país e os mais pobres pagaram a conta.

Sem um programa de governo consistente que busque perspectivas de melhorar a situação econômica do estado, o governador Helder Barbalho perde-se na politicagem varejista e arrasta o Pará ao lamaçal em que Bozo atola o país. Pelo visto a caridade, como fez Betinho, substituirá os maus governantes. Triste!

quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Só a responsabilização criminal devida é capaz de parar esse genocida

 Depois do curandeirismo safado, quando fez o Exército brasileiro fabricar e armazenar seis milhões de um comprimido que a Organização Mundial da Saúde havia sentenciado ser ineficaz para o tratamento da covid19, Bolsonaro agora volta atacar de verdugo medieval ao determinar que a vacina da SinoVac é imprestável porque de origem chinesa.

No entanto, esse imbecil passou a vida toda fazendo apologia da violência, da tortura, da liberação sem limites da venda de armas de fogo a qualquer um, ignorante do fato que foram os chineses que inventaram a pólvora, entre outras invenções de uso planetário hoje em dia, por ser um povo de sabedoria milenar apesar de Trump, Olavão e Bozo.

Com efeito, essa cretinice de ficar fazendo pose para uma chusma de azêmolas negacionistas e terraplanistas, enquanto a vida de milhões de brasileiros corre risco, é típico crime de responsabilidade na medida em que o juramento feito sobre a Constituição Federal obriga Jair a tomar medidas administrativas que vão além das idiossincrasias de suas reses.

Espera-se que 'Botafogo' entenda a gravidade do momento e acabe com essas conjecturas a respeito de uma eventual denúncia contra Bozo poder ser tiro no pé. Basta arredar a bunda um pouquinho só pra qualquer lado e liberar ao menos um dos mais de 50 pedidos de impeachment contra o presidente, pelo imenso cometimento de crimes de responsabilidade.

Negar vacina em um momento delicado como esse é igual a negar um copo com água a alguém em pleno deserto; com a agravante que o comportamento irresponsável do boçal em tela foi responsável por algumas dezenas de milhares de mortes de quem contraiu essa maldita doença, e só em um país marcado pela impunidade pra permitir que um vil genocida não pague por seus crimes lesa humanidade.

Candidato petista à prefeitura de Natal propõe ônibus elétrico com tarifa zero para a população

 

Candidato do PT à Prefeitura de Natal (RN), Jean Paul Prates apresentou na disputa eleitoral pelo comando da capital do Rio Grande do Norte uma proposta revolucionária para o transporte coletivo urbano. Especialista em energia eólica, Jean Paul quer usar energia renovável em ônibus elétricos e viabilizar passagens gratuitas no transporte público de Natal. “O diferencial da nossa proposta é usar energias renováveis e alta tecnologia para cortar dois dos principais custos da mobilidade urbana: combustível e manutenção”, aponta o candidato.

No programa de governo apresentado por Jean Paul, que tem como vice o advogado José Estrela Martins, o PT propõe a criação do Sistema Integrado de Mobilidade (Passe Livre – SIM/Natal), baseado em três pilares: 1) reordenamento e a integração do sistema de transporte coletivo urbano e metropolitano, com estações de integração e guarda de veículos leves; 2 implantação de novas concessões e permissões para a operação dos vários modais urbanos; e 3) implantação do sistema unificado de bilhetagem e tarifação em chip ou aplicativo próprio.

A medida deve ser viabilizada financeiramente a partir de uma fonte que o senador, que é um especialista em energia, conhece a fundo: a energia eólica. Um dos mais influentes especialistas no setor de energia renovável no Brasil e ex-secretário de Energia do Rio Grande do Norte, o atual senador potiguar levou o estado à autossuficiência energética, assegurando mais de R$ 10 bilhões de reais em investimentos. A ideia do candidato do PT é que a prefeitura adquira energia eólica produzida no estado a um custo mais baixo que o combustível.

Financiamento

“Para ter o direito de vender energia para a prefeitura, as empresas eólicas vão ajudar a financiar uma frota de ônibus elétricos modernos. Com fontes renováveis, baixo custo de manutenção e novas receitas, vamos conseguir baixar as tarifas gradativamente até a passagem ficar de graça”, promete o petista. Ele justifica que a proposta é viável do ponto de vista econômico, beneficiando o cidadão, principalmente aqueles mais vulneráveis socialmente, o meio ambiente e a economia do estado.

Jean Paul lembra que o Passe Livre é realidade em vários municípios do Brasil e é possível copiar a ideia para a capital do Rio Grande do Norte, que tem uma das tarifas mais caras do Nordeste: R$ 4,25. No Brasil, o modelo de financiamento do transporte público é baseado na tarifa e quase completamente financiado por ela. Em São Paulo, município com um dos maiores índices de subsídios para a manutenção do serviço no Brasil, a taxa chega a 20%.

O candidato lembra que enquanto grandes municípios subsidiam de alguma forma o transporte público, em Natal isso não acontece, apesar de haver legislação que cria um fundo para custear esse subsídio – o Fundo Municipal de Transportes Coletivos (FMTC) – que existe desde 2015, mas ainda não regulamentado. “Atualmente, Natal não usa de subsídios: ou seja, a coletividade não financia o transporte público, que é o mais eficiente para beneficiar todas as pessoas que necessitam deste serviço e é mais útil para a população mais humilde”, destaca. “O único subsídio é o emergencial, na manutenção das frotas durante a pandemia, em que o município seguiu o governo do estado”.

Legislação

Em setembro, a Câmara Municipal de Natal aprovou a redução de 50% na alíquota do Imposto Sobre Serviços (ISS) incidente sobre as tarifas de transporte público. Na mesma época foi articulada a redução do ICMS cobrado pelo Estado sobre o combustível usado pelo transporte público municipal. Tais medidas foram tomadas para socorrer as empresas diante da redução de passageiros durante o isolamento social, mas não se refletiram nas tarifas e não foram sentidas pelos usuários. “Em todos os lugares, o transporte público é financiado com alguma mistura de investimentos privado do usuário pela tarifa e público”, ressalta.

De acordo com o programa de governo de PT, a medida passa também pelo sistema tarifário único e pela flexibilização de tarifação por horário, por percurso e por uso efetivo da estrutura, através da “Catraca Inteligente”, que permitirá políticas gerais de proporcionalidade da tarifa, assegurando ao usuário pagar pelo percurso que utilizar, ou ter Passe Livre em trechos específicos como os corredores principais.

O projeto para a mobilidade urbana inclui também implementar o que chama de “reconfiguração racional” e a integração geográfica dos trajetos e linhas de ônibus, após processo de consulta à população, além de mapeamento, reconfiguração, relocação e aprimoramento das paradas de ônibus.

(Agência PT de Notícias)