Jorge Paz Amorim

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Sou Jorge Amorim, Combatente contra a viralatice direitista que assola o país há quinhentos anos.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

45 dias de desgoverno



O desgoverno de Bolsonaro completa 45 dias nesta quinta-feira (14) e mostra, em pouco tempo, uma espantosa trajetória de retrocessos, medidas contra os direitos do povo, escândalos de laranjas, envolvimento com milícias, recuos e um festival de absurdos protagonizados pelo mandatário e por seus ministros.

O governo Bolsonaro em um mês e meio vive uma crise e quem paga por essa incompetência é o povo brasileiro. Uma das características mais decadente é a presença invasiva de seus três filhos, que assim como o pai fazem carreira na política sem projetos e propostas.

Flávio Bolsonaro é o calcanhar de Aquiles do pai. Alvo de investigações que envolvem verbas ilegais em envolvimento com milícias cariocas, o senador enfraquece o discurso contra a corrupção da bancada do PSL. Eduardo Bolsonaro, que é deputado federal, ameaçou a ex-namorada Patricia Lelis e foi notificado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para responder pela denúncia.

Carlos Bolsonaro, que é vereador na cidade do Rio de Janeiro, é uma espécie de pit bull das redes sociais e faz de tudo no atual governo, só não atua no cargo a que foi nomeado na capital carioca.

Outra característica do desgoverno atual é a quantidade de absurdos protagonizados pelos ministros. Separamos seis deles para que você tire suas conclusões:

O polêmico da semana

O ministro da Secretaria-Geral Gustavo Bebianno tem estampado os noticiários e evidenciado a crise do governo. Entenda o caso.

Bebianno, que foi coordenador da campanha de Bolsonaro, liberou R$ 250 mil de verba pública para sua ex-assessora, Érika Siqueira Santos que teve apenas 1.315 votos. A candidata por sua vez repassou parte deste valor para uma gráfica registrada com endereço de fachada e sem maquinário para impressões em massa.

Na terça-feira (12), Bebianno afirmou ter falado “com o presidente três vezes” sobre o caso e como resposta foi atacado por Carlos que negou o contato. Jair corroborou com o ataque do filho nas redes sociais. Este escândalo e o desalinho do discurso do ministro com a família Bolsonaro abrem uma fenda e estampam a crise.

O homem das laranjas

Quem também protagonizou escândalo nos últimos dias foi o ministro do Turismo Marcelo Álvaro Antônio, investigado por bancar esquema de laranjas nas últimas eleições.

Deputado Federal desde 2010, Marcelo Álvaro Antônio foi responsável por escolher os candidatos e destinar o fundo partidário no estado de Minas Gerais. No alto de seu poder, o atual ministro destinou R$ 279 mil da direção nacional do PSL para quatro candidatas a deputada estadual e federal do interior de Minas Gerais. Elas figuraram entre os 20 nomes com mais verbas no PSL e tiveram cerca de 2.000 votos.

A Folha de S. Paulo noticiou no dia 4 de fevereiro que parte do dinheiro público direcionado às candidatas foi parar na conta de empresas de assessores parentes ou sócios de Marcelo Álvaro Antônio.

O ministro das mineradoras

Ricardo Salles, que é ministro do Meio Ambiente e investigado por fraude ambiental, também ficou no centro de polêmicas esta semana. Ele foi o entrevistado no programa Roda Viva, da TV Cultura, e mostrou, além de ignorância, falta de respeito por um dos maiores ambientalistas do Brasil: Chico Mendes.

Ele afirmou. “O fato é que é irrelevante, que diferença faz quem é Chico Mendes nesse momento?”

O ministro tem seu nome bastante comentado também por tentar afrouxar fiscalizações ambientais mesmo depois de crimes como os de Brumadinho e Mariana, em Minas Gerais. Ele também foi acusado de adulterar um mapa ambiental em benefício das mineradoras.

O juiz da (in)justiça

O ex-juiz Sérgio Moro é outro que tem buscado o protagonismo nos desmandos e absurdos do governo Bolsonaro. Atuando nas sombras, ele se recusa a falar de seu encontro com a Taurus, empresa de armas, antes do decreto que flexibiliza o porte.

Ele também tem sido muito criticado — e com razão — por seu pacote legislativo em que o policial ganha licença para matar em serviço, entre outros absurdos catastróficos para a Segurança Pública.

A ministra dos absurdos

Damares Alves é a maior cortina de fumaça do governo Bolsonaro. Quando algum escândalo de corrupção vem à tona, ela surge com uma declaração polêmica e homofóbica como ‘meninos vestem azul e meninas vestem rosa.’

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, em 45 dias de governo, está sendo conhecida pelos absurdos que diz, mas até agora a única coisa que fez, na prática, foi retirar a população LGBT da Política dos Direitos Humanos.

O ministro da deseducação

Um dos nomes que mais apresenta despreparo entre os ministros de Bolsonaro é Ricardo Vélez Rodríguez, chefe do Ministério da Educação. Num histórico recente, ele afirmou que brasileiro viajando é um canibal, chamou um jornalista de agente da KGB, atacou Cazuza em resposta a uma frase que nunca foi dita pelo cantor.

Sem contar no edital polêmico que quis aprovar com erros e propagandas e o comentário infeliz, elitista e despreparado de que “a ideia de universidade para todos não existe.”
(Agência PT de Notícias)

Mulheres marcham no 8 de Março por Marielle e contra políticas de Bolsonaro

Foto: Mídia Ninja



Jornal GGN – Movimentos de mulheres se organizam para marchar no dia 8 de Março de 2019 em memória da ex-vereadora do PSOL, Marielle Franco – cujo assassinato vai completar 1 ano sem resolução – e contra as políticas do governo Bolsonaro, ou a falta delas como no caso do feminicídio.

Nas redes sociais, o mote espalhado é “Mulheres contra Bolsonaro! Vivas, por Marielle! Em defesa da Previdência, democracia e direitos.”

A marcha demandará condições justas para as mulheres na reforma da Previdência e uma política de segurança focada em reduzir os índices de feminicídio, pauta que ficou de fora da lista das prioridades do ministro da Justiça Sergio Moro. Ao contrário disso, uma das primeiras medidas do novo governo foi facilitar o porte de armas ema té 4 unidades por requerente.

Segundo o jornal, na capital paulista, a concentração se dará no Masp, às 16h. A iniciativa, suprapartidária, espera reeditar os movimentos de rua contra Bolsonaro sob a hashtag #EleNão, só que com uma pauta mais ampla.

Mariana Riscali, da executiva nacional do PSOL, disse à FOlha que é natural que neste ano o dia 8 de Março relembre “o primeiro ano do assassinato da Marielle, a política de armas do governo que atinge diretamente as mulheres vítimas de violência doméstica, as propostas que interditam a discussão de gênero na sala de aula, criando a escola com mordaça”.

Ex-presidente quer que militância explique: ‘É Lula livre porque Lula é inocente’

Nicole Briones relata à vigília reunião com Lula
“Ele está sempre pensando o Brasil, uma cabeça muito boa.” Assim a jornalista Nicole Briones, do Instituto Lula, descreveu sua impressão sobre a visita feita ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na tarde desta quinta-feira (14). “Foi mais uma reunião de trabalho. Uma hora que parecia dois dias de tanta informação”, contou às pessoas que seguem por 314 dias ao lado do prédio da Polícia Federal, em Curitiba, na Vigília Lula Livre.

Lula pediu especificamente que se explique por que tanta gente grita “Lula livre” pelo mundo afora. “É Lula livre porque ele é inocente. Lula livre porque não apresentaram nenhuma prova contra ele até hoje”, disse Nicole. “Ele está preso, é um refém do Estado”, afirmou, reforçando que após anos de investigação e duas condenações não conseguem nenhuma prova contra o ex-presidente.

“Ele quer que a gente explique isso para as pessoas: Lula livre porque não há provas, porque ele foi preso para não ser presidente de novo”, relata. “Preso ele tinha 40% das intenções de voto, porque o povo sabe que essa prisão é injusta. A gente precisa contar isso para quem não sabe, que foi manipulado, por falta de informação não entende o que ele está fazendo ali. Qual a prova que o juiz Moro apresentou, que a juíza Gabriela Hardt apresentou? Temos de mostrar essas falhas para o povo e que ele é um perseguido pela Justiça. E que ele foi perseguido para não voltar a ser presidente.”

Ao final, o ex-presidente enviou um recado ao povo: enquanto não apresentarem provas, ele vai continuar falando e defendendo o povo, mesmo de onde ele está. “A gente não pode desistir dele”, disse Nicole.
(Rede Brasil Atual)

É preciso pensar primeiro na segurança do torcedor

Resultado de imagem para mangueirão interditado
O noticiário esportivo já dá conta que a capacidade do Mangueirão para domingo, no RexPa, será de 35 mil torcedores, todavia, o Ministério Público ainda não deu seu parecer confirmando essa capacidade.

É, com efeito, uma irresponsabilidade de quem divulga esse número, de 35 mil torcedores, antes da palavra final de quem cabe analisar os laudos técnicos a respeito da segurança do estádio, depois que parte do forro do Setor A desabou.

E do teto não caíram flores, mas pedaços de concreto capazes de provocar tragédia. Por isso, antes de pensar na renda do clássico, seria bom que os profissionais mais eufóricos tomem os acontecimentos trágicos recentes como exemplo e pensem primeiramente na segurança das milhares de pessoas que irão ao estádio.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

A reação tardia dos fiscais da lei



Justiça tardia é injustiça manifesta, já dizia Rui Barbosa. Por isso, esse surto moralizador do fiscal da lei, que saiu por aí fechando centros de treinamentos de clubes nos quatro cantos do país, não os exime da responsabilidade pela tragédia ocorrida no Ninho do Urubu.

Óbvio, várias autoridades manifestaram-se a respeito das irregularidades no CT rubro-negro que certamente concorreram para que o sinistro ocorrido tenha alcançado as proporções trágicas conhecidas.

Nenhum fato novo ocorreu após as mortes daqueles garotos, daí esse repentino acesso de rigor vem recheado da negligência que se não tivesse ocorrido poderia ter evitado o pior.

Agora, o mínimo que se espera desse surto é que obrigue todos os clubes, não os interditados, a ofertar condições mínimas de habitabilidade pra garotada que vê no futebol sua ponte para um futuro melhor.

Idade mínima de aposentadoria será de 65 anos para homens e 62 para mulheres, diz secretário da Previdência


Rogério Marinho, secretário de Previdência Social, afirmou que a proposta do governo de reforma da Previdência Social vai indicar idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres, ao final de um período de 12 anos de transição, de acordo com informações de Guilherme Mazui e Gustavo Garcia, do G1.

Conforme Marinho, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC), que será enviada ao Congresso Nacional na quarta-feira (20), será assinada por Jair Bolsonaro nesta mesma data.

O presidente tomou “a decisão final”, ainda segundo Marinho, durante reunião, na tarde desta quinta (14), no Palácio da Alvorada, com os ministros Paulo Guedes (Economia), Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Carlos Alberto dos Santos Cruz (Secretaria de Governo).

“Hoje o presidente diante das informações que recebeu tomou a decisão final. O texto está pronto”, declarou o secretário.

Marinho informou que Bolsonaro pediu que fossem divulgadas somente “algumas” informações. O teor completo da proposta será anunciado no dia 20.
(Revista Forum)

Boçalidade anti povo: passagens aéreas sobem até 360% para o carnaval



Brasileiros, com exceção dos do andar de cima, correi todos para os terminais rodoviários, pois foi decretado pelo governo da boçalidade o triunfo do parâmetro Danuza Leão.

Segundo informações veiculadas, hoje, as passagens aéreas no período carnavalesco sofreram majoração de 360% acima do que vinha sendo praticado.

Primeiro o golpismo larápio e temerário meteu a faca nos usuários reajustando absurdamente os valores das taxas de embarque; agora o governo da boçalidade atira a pá de cal.

Agora, povão no aeroporto só se for pra fazer festa pra pop star, pois, se quiser viajar, deverá fazer como era o corriqueiro antes dos governos petistas, ou seja, via rodoviária.

Era só tirar o PT, né? Só não sabiam pra que, mas agora já sabem: pra que socialites não encontrassem os porteiros de seus prédios em aeroportos no exterior. Triste.

De Paulo Preto a Bebiano, um breve relato sobre laranjas



Paulo Afrodescendente, laranja dos de alta plumagem de São paulo na ladroagem no metrô paulista advertiu que não se abandona um amigo no meio da estrada, logo após esses comparsas graúdos fingirem que não o conheciam.

Agora é o comparsa da boçalidade que adverte, não se crava à traição uma faca na nuca de um correligionário, depois que pai, presidente, e filho, co-presidente, resolveram deixar nas costas do Bebiano toda a responsabilidade a respeito do surrupiamento de dinheiro do fundo partidário.

O bicho promete pegar e coisa que se tenta manter abafada aflorar na plenitude de sua podridão, afinal´, quem acredita que aqueles R$400 mil roubados do fundo partidário tenham ido apenas para uma candidata que não teve nem 300 votos?

Fritado até virar carvão, mais cedo ou mais tarde, de forma estridente ou discretamente, Bebiano fará vir à luz do dia a trilha desses recursos, bem como seus destinatários e aí veremos se a valentia em twitter será a mesma diante de um processo, mais um contra uma famiglia especialista em trambiques.  

"Luz Para Todos" virou "Sem Luz Para Todos"



Depois de destruir o programa 'Mais Médicos', impondo às regiões mais longínquas do país o 'Sem Médicos', eis que o governo da boçalidade parece disposto a continuar sem pudor o program 'Sem Luz para Todos', iniciado pelo ladravaz Michel Temer.

Há dois anos a concessionária de energia encarregada da distribuição em nosso estado não acende uma vela em homenagem às vítimas da escuridão causada pelo descaso, interrompendo um cronograma que seguia bem até a deposição da presidenta Dilma.

Como a boçalidade guarda enormes semelhanças neoliberais com o antecessor golpista, daí ter dado seguimento à destruição da CLT, à destruição da regra de reajuste do salário mínimo e vem aí com uma proposta de reforma da previdência até bem mais perversa que a frustrada do larápio, caminhamos para uma situação em que alguns segmentos populares terão de viver sem pensão, sem luz e apenas esperando a morte chegar. Triste!

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Petistas protocolam pedido de CPMI para investigar tragédia de Brumadinho



Os deputados petistas Margarida Salomão, Rogério Correia e Reginaldo Lopes participaram nesta terça-feira (13), junto com representantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e moradores afetados pelo desastre, do ato de entrega do pedido de criação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar as causas da tragédia de Brumadinho. O documento foi protocolado na Secretaria Geral do Senado com 237 assinaturas de deputados, deputadas, senadores e senadoras.

A CPMI foi uma iniciativa da bancada mineira, e contou com o apoio de toda a Bancada do PT na Câmara, principalmente dos parlamentares petistas de Minas Gerais: Leonardo Monteiro, Odair Cunha, Padre João, Patrus Ananias e Paulo Guedes.

Após a entrega do pedido, a deputada Margarida Salomão defendeu que esta proposta tenha a prioridade da instalação, e substitua uma CPI na Câmara e outra no Senado, que tratam do mesmo tema, e que já foram aceitas pelos presidentes das duas Casas legislativas. “Essa CPMI, por ter apoio de deputados e senadores, tem precedência sobre as outras duas”, observou.

Já o deputado Rogério Correia ressaltou que uma CPMI, por envolver as duas casas, terá mais força para investigar as causas da tragédia de Brumadinho e também propor ações que garantam a segurança das barragens em todo o País.

“Esperamos razoabilidade do presidente da Câmara e do Senado para que tenhamos apenas uma CPI. Não dá para ver a lama sendo levada para o Rio São Francisco, depois de ocasionar quase 400 mortes, incluindo os desaparecidos. Apenas uma CPMI terá força para vencer o lobby da mineração”, afirmou Correia.

O deputado Reginaldo Lopes destacou ainda que, além de “otimizar tempo e o custo de funcionamento”, uma CPMI terá melhores condições de oferecer uma resposta para populações que hoje sentem medo em morar perto de barragens.

“As pessoas hoje de outras cidades localizadas próximas de barragens não dormem tranquilas. Elas sentem ansiedade e angústia com medo de ocorrer outra tragédia”, destacou. O parlamentar lembrou que, além de assinar a CPMI, é autor da ideia de criação da Comissão Externa da Câmara que acompanha os desdobramentos da tragédia de Brumadinho e coordenador do grupo de trabalho que estuda um novo marco regulatório para as mais de 24 mil barragens em todo o País.

Para a moradora do bairro Parque da Cachoeira, localizado em Brumadinho e atingido pela lama, Soraia Campos, é preciso investigar e punir o crime cometido e ainda propor soluções para amenizar os efeitos da tragédia.

“Nosso bairro, Parque da Cachoeira, está inundando de lama tóxica. Estamos aterrorizados com o que aconteceu, mas mais aterrorizados ainda com o que vem pela frente. Quando a lama secar e vier a poeira, vai trazer várias doenças, problemas pulmonares e cancerígenos”, lamentou.
(PT Câmara)

Ministro da Justiça invoca "privacidade" pra ocultar encontro furtivo com fabricante de armas


Por meio da Lei de Acesso à Informação, o PSOL questionou se Moro teve um encontro com representantes da Taurus, fabricante de armas, antes do decreto que facilitou a posse; ministro da Justiça, que já vazou áudios ilegalmente enquanto juiz, agora alega "direito à privacidade"

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, se recusou a responder um questionamento do PSOL sobre um suposto encontro com representantes da Taurus, fabricante de armas, em janeiro deste ano. O partido acredita que o ex-juiz tenha se reunido com o setor armamentista pouco antes da publicação do decreto, em 15 de janeiro, que facilitou a posse de armas e, para obter informações sobre o suposto encontro, acionou a Lei de Acesso à Informação.

O ministro, no entanto, alegou “direito à privacidade” para não responder. “O direito à privacidade, no sentido estrito, conduz à pretensão do indivíduo de não ser foco de observação de terceiros, de não ter os seus assuntos, informações pessoais e características expostas a terceiros ou ao público em geral”, disse Moro em comunicado.

Cabe lembrar que o ministro, quando era juiz em Curitiba, por mais de uma vez vazou gravações telefônicas de investigados à imprensa de maneira ilegal. Uma delas foi uma conversa entre os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff.

Câmara dos Deputados

Diante da negativa de Moro, o PSOL protocolou o mesmo pedido, para que o ministro se explique, mas desta vez na Câmara dos Deputados.

O pedido aguarda parecer do primeiro vice-presidente, Marcos Pereira (PRB-SP) e, a partir do momento que o parecer for dado, Moro terá 30 dias para fornecer as respostas.

“A pergunta é importante para esclarecer quem são os reais interessados na publicação do decreto que flexibiliza a posse de armas”, informou, em nota, o PSOL.
(Revista Forum)

Chico Mendes defendia a vida, enquanto o "ministro da mineração" defende a morte



Angela Mendes, filha de Chico Mendes, foi quem melhor definiu a questão: o ministro não conhece a importância histórica daquele notável homem da floresta, mundialmente reconhecido, porque é ministro da mineração e inimigo do meio-ambiente.

Por isso é processado por corrupção, tem fama de desonesto e alguém com prazo de vaidade como servidor público de curta duração, a ponto de ninguém lembrar seu nome daqui a um ano, no máximo, quando o governo dele se livrar para que possa acertar contas com a justiça.

Mais assalto contra o bolso dos trabalhadores



Próximo assalto do governo da boçalidade: ao PIS/PASEP dos que ganham acima de um salário mínimo. Serão roubados pelo agiota Guedes, mancomunado com o capitão do mato, 23,4 milhões de trabalhadores que atualmente se encontram nessa situação.

Segundo reportagem da Agência Globo, a famigerada proposta consta do texto da não menos infame Reforma da Previdência, cujo texto o ávido usurário apressa-se pra mandar ao Congresso Nacional e ver aprovado o quanto antes.

Ainda, segundo a reportagem, a tunga vai economizar cerca de R$17 bilhões para o governo, certamente necessitado desses recursos para o diálogo que fará com parlamentares de sua base, esses sequiosos por argumento$$$$ que os convençam. Credo!

Boçalidade predatória



Qual o interesse estratégico que justifique a extensão da BR-163 até a fronteira com o Suriname, se há estudos mostrando ser mais viável chegar ao Pacífico por rota que demande menos custos e danos ambientais?

Esse repentino interesse do governo da boçalidade só se justifica pra atender à obsessão trumpiana de chegar perto da Venezuela por terra e mar, vindo pelo Suriname e chegando no extremo norte do Brasil, colado no país ainda legalmente governado por Nicolás Maduro.

Uma obra com esse potencial de destruição pode ser comparada com o alvorecer da rodovia Transamazônica, no quesito colonização predatória e totalmente alheia aos impactos causados a trocentos ecossistemas, que o bufão Trump ignora a existência, muito menos sua serventia à humanidade.

Pena que o jovem governador paraense mostre-se interessado em ser parceiro dessa aventura delirante, que além do aspecto visual de uma obra dessa suntuosidade pode despertar, embora economicamente seja discutível sua utilidade para o Brasil e especialmente para o Pará.

Relembrando que a índole flibusteira do provável parceiro nos prometeu eldorados de prosperidade, mas nos deixou atolados em dívidas com a aventura da Transamazônica, genialmente resumida por Millôr Fernandes como a maior transa do mundo. É isso!

No rumo da morte



No dia 13/02/2008(há exatos 11 anos), Miguel López Rocha, que estava brincando nos arredores da cidade mexicana de Guadalajara, escorregou e caiu no rio Santiago.
Miguel tinha oito anos de idade.
Não morreu afogado.
Morreu envenenado.
O rio contém arsênico, ácido sulfúrico, mercúrio, cromo, chumbo e furano, jogados em suas águas pela Aventis, Bayer, Nestlé, IBM, Dupont, Xerox, United Plastics, Celanese e outras empresas, que em seus países estão proibidas de fazer esse tipo de doação.
(Eduardo Galeano- Os Filhos dos Dias/ L&PM editora).
Pelo trôpego cavalgar dos cônsules boçais, muito breve a viralatice e a cretinice nos farão atingir esse tipo de horror anti povo.

O Pará não pode viver eternamente de compensações



Protestar contra a gangue do TCU é importante, mas não basta pra acabar com essa canalhice criada pela famigerada Lei Kandir.

O Pará não pode viver eternamente de compensações ofertadas de acordo com os humores dos tribunais superiores e boa vontade da União.

É preciso propor a revogação desse assalto institucionalizado e legalizado por um tucano rapace, com o perdão da redundância, mesmo que sejamos insuficientes pra fazer aprovar tal medida.

No entanto é preciso fazer barulho, mostrar que aquele excremento legal tende a nos condenar ao atraso, ao papel fazer de colônia e a viver de migalhas eternamente.

Já que o derrocamento do Pedral do lourenço está em vias de iniciar sua obra, então, que se brigue novamente pela instalação da ALPA, uma fábrica que agregue valor ao nosso minério aqui mesmo.

Em vez de embarcar nos projetos com fins belicosos de Jair Messias, bem que o nosso governador poderia brigar por essa fábrica, junto com uma rodovia que nos leve até o Suriname. Simples assim.

Zenaldo e o paradigma Vampeta



Os donos das empresas de coleta de lixo acusam a prefeitura de não os pagar há cinco meses. Pior: dizem que perderam as esperanças de receber porque Zenaldo deixou de cumprir a obrigação quando a receita da PMB sobe consideravelmente, com o pagamento da cota única do IPTU, em janeiro.

Nessa relação contratual sob o paradigma Vampeta, a prefeitura finge que paga e as empresas fingem que coletam o lixo da cidade, tudo tende a piorar com a chegada da parte mais rigorosa do inverno amazônico, nos meses de março e abril, quando as grandes águas podem receber mais lixo pra atormentar a vida dos belenenses, principalmente os que moram em áreas baixas e perto de canais, ou seja, quase a totalidade da população.

Procura-se, então, desesperadamente pelo Ministério Público, o procura-se em tela é a população duplamente penalizada, que pagou o IPTU de uma porrada só na vã esperança de um uso melhor da grana, pois prefeito e empresas parece que não estão nem aí pro imbroglio e os dramas dele decorrentes.

Por isso, no carnaval, o grito de guerra, mais uma vez e desgraçadamente deve ser: olha a lixarada aí gente. Chega mais dengue, zica e chikungunya! Não necessariamente nessa ordem, mas todos presentes à folia do prefeito bandalho e irresponsável. 

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

CHACAL? NÃO. HIENA


Rombo da previdência é fruto da sonegação dos patrões e cumplicidade do governo com ela



Enquanto o projeto do governo de Jair Bolsonaro (PSL) para endurecer as regras para os trabalhadores e trabalhadoras se aposentarem segue acelerado, o combate a sonegação e falcatruas de empresas e a discussão sobre as renúncias previdenciárias andam a passos lentos.

A Previdência pública deve perder este ano cerca de R$ 54,56 bilhões com renúncias previdenciárias – desonerações de folha, exportação rural, filantropia e tributos de empresas pequenas e as optantes do Simples Nacional, que não recolhem 20% de contribuição ao INSS. Este valor é quase 12% maior do que os R$ 46,3 bilhões de renúncia previdenciária que o ilegítimo Michel Temer deu às empresas no ano passado.

O rombo nos cofres do INSS sobe para R$ 85,81 bilhões se somarmos as renúncias previdenciárias e a apropriação indébita. Por ano, os patrões descontam dos salários dos trabalhadores e trabalhadoras, mas não repassam ao caixa da Previdência, cerca de R$ 31,25 bilhões, segundo a CPI da Previdência.

Para o ex-ministro da Previdência, Carlos Gabas, a apropriação indébita dos patrões mostra um retrato gravíssimo de como a falta de fiscalização contribui para o atual quadro da Previdência. “Se a empresa não recolhe a parte que é descontada dos funcionários, isto é crime”, aponta.
(Central Única dos Trabalhadores/ PT Senado)

Governicho da boçalidade não passa de 'ação entre amigos e parentes' do fascismo à brasileira


O governo Bolsonaro é generoso com seus parentes e amigos. O filho do vice-presidente, Hamilton Mourão, triplicou o salário no Banco do Brasil (36 mil reais). A empresária Leticia Catelani, amiga de Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, descolou um empregão na Apex (43 mil reais). Agora quem sobe na vida é uma amiga do assessor internacional de Bolsonaro, Filipe G. Martins.

Bruna Luiza Becker tornou-se assessora especial do ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodrigues. Sua nomeação foi publicada no Diário Oficial da União de 30 de janeiro. Vai ganhar 13 mil reais por mês.

É do curso superior de Relações Internacionais que vêm sua amizade com Martins, o redator do discurso feito por Bolsonaro no Fórum Econômico Mundial, em Davos. Um discurso de seis minutos, embora o presidente dispusesse de 45 minutos para falar à nata global dos endinheirados.

De 2011 a 2013, Martins estudou na Universidade Federal de Pelotas (Ufpel). Ali, ele e Bruna fizeram parte da mesma gestão do Centro Acadêmico do curso de Relações Internacionais, como se pode conferir aqui. Martins e Bruna estudaram depois na Universidade de Brasília (UnB), onde o assessor de Bolsonaro formou-se em 2015.

A dupla tem afinidade intelectual. Os dois são discípulos do “filósofo” Olavo de Carvalho e, a exemplo do guru bolsonarista, acreditam na existência de uma trama comunista por trás de tudo.

“O marxismo e sua aplicação não visam produzir uma sociedade justa e igualitária, mas sim, renegar a natureza humana na construção de um novo ser, destruindo todo o legado cultural, os povos e as nações que se colocarem no caminho”.

Palavras de Bruna em um artigo escrito em 2013, intitulado “Marxismo cultural: a raiz do problema moral em nossa sociedade”. Depois do texto, uma deferência ao amigo: “Meus agradecimentos especiais às dicas e auxílio de Filipe Martins”.

Com sua visão sobre “moral”, Bruna tem tudo para dar certo na equipe do ministro da Educação. Vélez Rodrigues defende a volta do ensino de “moral e cívica”, por exemplo.

Dias atrás, Rodrigues taxou um jornalista de O Globo, Ancelmo Gois, de agente da KGB, o finado serviço secreto da ex-União Soviética. Foi em uma nota em resposta a uma informação de Gois sobre o sumiço de programas com pensadores de esquerda, como Karl Marx, da grade da TV Ines, emissora online para surdos mantida com verba do MEC. Na ditadura militar, Gois refugiu-se na URSS.

Com a nomeação de Bruna, aumenta o número de amigos e parentes que são dão bem no governo.

Rossell Mourão arranjou um cargo de assessor especial do presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, no mesmo dia da posse de Novaes, vista da plateia pelo pai do promovido, o vice-presidente Mourão. Rossel ganhava 12 mil, agora embolsa 36 mil.

A empresária Leticia Catelani é amiga de Eduardo Bolsonaro, com quem divide a paixão por clubes de tiro. Tão amiga, que em setembro de 2018 foi expulsa do cargo de secretária-geral do PSL em São Paulo. A cúpula nacional do partido bolsonarista havia recebido queixas de que ela usava a amizade com Eduardo para passar por cima da direção paulista da sigla.

Na Apex, Leticia se desentendeu de cara com o então presidente do órgão, Alex Carreiro. Levou a melhor graças à amizade com Eduardo e, também, à proximidade que começou a construir com o chanceler Ernesto Araújo (na foto que ilustra essa reportagem), a quem a Apex se subordina. Ferreira perdeu o cargo, e Leticia salvou o salário de 43 mil reais mensais.

E assim vai o governo que vinha para “mudar isso daí”.
(André Barrocal/ Carta Capital/ via Diário do Centro do Mundo)