Jorge Paz Amorim

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Sou Jorge Amorim, Combatente contra a viralatice direitista que assola o país há quinhentos anos.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

O 'Futuro' de Helder


Durante seus oito anos de mandatário como prefeito de Ananindeua, Helder Barbalho não fez uma obra que fizesse a população daquele município lembrar dele positivamente. Pelo contrário. Em seu último ano de alcaide praticamente deixou a administração na mão do vice e foi saiu por aí, usando uma dessas associações de prefeitos, fazendo campanha pra governador.


Resultado: sua derrota pra Simão Jatene contou muito com a votação ananin contra, um troco dado contra aquele que teve grandes oportunidades oportunidades na área de saneamento, mobilidade urbana, saúde etc e o máximo que conseguiu foi construir uma réplica fajuta do Ver-O-Peso e em local inadequado.

Ressabiado, Helder parece disposto a purgar esse erro e dá uma cartada interessante, aproveitando sua condição de ministro da Integração Nacional.

O projeto que apresentou na quarta-feira passada, 'Belém Porto Futuro', independente de méritos ou deméritos que possam ser detectados daqui por diante, inscreve-se como uma intervenção na capital paraense capaz de chamar a atenção daquela grande massa de eleitores que pensam ser uma boa administração marcada pela construção de cartões postais, como se a cidade fosse uma folhinha/calendário.

Mirante, lago, pátio de conteiners, praça, museu do Círio, tudo a um custo estimado inicialmente em 150 milhões de reais, terá tudo pra ocupar a mídia barbálhica na cobertura dessa portentosa obra, prevista para iniciar já no próximo semestre.

Será o argumento/cartão usado por Helder contra as trucagens privatas, que até lá continuarão mostrando via mídia tucano/liberal o prolongamento da 1º de Dezembro, a duplicação da avenida Perimetral e agora um tal de BRT Metropolitano, que Simão jura pela fé da mucura iniciar no mesmo período que Helder dará a partida do seu porto futuro.

Incautos, otimistas, oportunistas, asseclas certamente dirão que agora Belém avança. Resta saber pra onde, afinal, muitas dessas obras já vem se arrastando há quase meia década sem data pra conclusão, logo, o destino da população, sem emprego ou atividade econômica relevante que dê ocupação e condições de sobrevivência, será ficar cada vez mais contemplativo. Com um olhar em uma ou outra obra de fachada; e outro na miséria que circunda nossa periferia desassistida.

Um comentário:

Catarina Alves disse...

Isso é obra para se perpétua na política, é a maneira de enganar o povo. O Brasil ta cheio de políticos destes tipo...Não temos o que escolher em matéria de político, o povo estar lascado.