Jorge Paz Amorim

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Sou Jorge Amorim, Combatente contra a viralatice direitista que assola o país há quinhentos anos.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Fábrica de celerados


Todos os que votaram ontem, na Câmara Federal, têm legitimidade respaldada no voto popular. Por isso, quando um celerado encaminha seu voto homenageando a um dos mais abjetos seres já nascidos neste país é porque uma considerável parcela da população o escolheu para dizer sandices e abusar de malfeitos contra a democracia.

Quase tão abjeto foi um outro patife que justificou o voto "pelo fim da rentabilização de desocupados e vagabundos". Referia-se certamente a 13 milhões de famílias brasileiras beneficiárias do programa do governo federal 'Bolsa Família', que deu dignidade a esse quarto da população brasileira historicamente marginalizada, bem como deu ao país o reconhecimento mundial pela implantação do referido programa.

Seguramente, tanto um quanto o outro aqui citados não foram votados apenas por pessoas de classe média pra cima. Devem ter conseguido iludir pessoas do nosso estamento social mais vulnerável, com promessas mirabolantes e discurso dissimulado.

Com efeito, o aparato midiático tupiniquim acumpliciado com o segmento político golpista muito contribui para essa farsa. Ao criminalizar a atividade política, de modo geral, e omitir essas nuances torpes acaba contribuindo com essa aberração.

Pra piorar, o único instrumento que permitia uma tênue oportunidade de se avaliar o perfil dos que se apresentam à população, o horário eleitoral, foi podado pelo PCC(Partido da Corja do Cunha), aumentando sensivelmente a dependência de parcela considerável dos eleitores desse noticiário nefasto.

Enfim, uma das tarefas dos segmentos políticos mais progressistas é tirar a população da frente do aparelho de televisão, proporcionando a oportunidade de uma vida mais saudável, vitimados por esse maldito aparelho que o saudoso Sérgio Porto considerava uma 'máquina de fabricar loucos', hoje uma verdadeira usina de imbecilidades que tanto mal causa à população.

Diante do embate desigual, não é tarefa fácil, na medida em que o país há muito perdeu de vista discutir de forma pertinente aquilo que lhe diz respeito. Entretanto, em algum momento isso tem que ser resgatado, antes que milhões de pessoas avalizem a ascensão de um salafrário apologista de carnificinas, apenas por que a mídia assim o quis. E isto é pra ontem.

Um comentário:

ANTONIO Valentim disse...

Conseguem se eleger iludindo ou simplesmente comprando o voto do eleitor mais humilde. Simples; é só ir às cidades do interior do Brasil na véspera da eleição.